Interessante

O famoso passeio de Lady Godiva por Coventry

O famoso passeio de Lady Godiva por Coventry


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Segundo a lenda, Leofric, o conde anglo-saxão da Mércia, impôs pesados ​​impostos àqueles que viviam em suas terras. Lady Godiva, sua esposa, tentou convencê-lo a remover os impostos, o que causou sofrimento. Ele se recusou a enviá-los, finalmente dizendo a ela que faria se ela andasse nua a cavalo pelas ruas da cidade de Coventry. Obviamente, ele primeiro proclamou que todos os cidadãos deveriam ficar dentro e fechar as persianas sobre suas janelas. Segundo a lenda, seus longos cabelos cobriam modestamente sua nudez.

Godiva, com essa grafia, é a versão romana do nome em inglês antigo Godgifu ou Godgyfu, que significa "presente de Deus".

O termo "espiando o Tom" supostamente começa com parte dessa história também. A história é que um cidadão, um alfaiate chamado Tom, ousou ver o passeio nu da nobre Lady Godiva. Ele fez um pequeno buraco nas persianas. Então "espiar Tom" foi aplicado depois disso a qualquer homem que espiasse uma mulher nua, geralmente através de um pequeno buraco em uma cerca ou parede.

Quão verdadeira é essa história? É um mito total? Exagero de algo que realmente aconteceu? Como aconteceu há muito tempo, a resposta não é completamente conhecida, pois não havia registros históricos detalhados.

O que sabemos: Lady Godiva era uma figura histórica real. O nome dela aparece com o de Leofric, o do marido, nos documentos da época. Sua assinatura aparece com documentos que concedem doações a mosteiros. Ela era, aparentemente, uma mulher generosa. Ela também é mencionada em um livro do século 11 como a única grande proprietária de terras após a conquista normanda. Então ela parece ter algum poder, mesmo na viuvez.

Mas o famoso passeio nu? A história de seu passeio não aparece em nenhum registro escrito que temos agora, até quase 200 anos após o ocorrido. A narrativa mais antiga é de Roger of Wendover no Flores Historiarum. Roger alega que o passeio aconteceu em 1057.

Uma crônica do século XII creditada ao monge Florence of Worcester menciona Leofric e Godiva. Mas esse documento não tem nada sobre um evento tão memorável. (Sem mencionar que a maioria dos estudiosos hoje atribui a crônica a um colega monge chamado John, embora Florence possa ter sido uma influência ou colaborador.)

No século 16, o impressor protestante Richard Grafton, de Coventry, contou outra versão da história, consideravelmente limpa e concentrada em um imposto sobre cavalos. Uma balada do final do século XVII segue esta versão.

Alguns estudiosos, encontrando poucas evidências da verdade da história, como geralmente foi contada, ofereceram outras explicações: ela não andava nua, mas de cueca. Tais procissões públicas para mostrar penitência eram conhecidas na época. Outra explicação oferecida é que talvez ela viajasse pela cidade como um camponês, sem as jóias que a marcavam como uma mulher rica. Mas a palavra usada nas primeiras crônicas é usada para ficar sem roupa, não apenas sem roupa exterior ou sem jóias.

A maioria dos estudiosos sérios concorda: a história do passeio não é história, mas mito ou lenda. Não há evidências históricas confiáveis ​​em nenhum lugar próximo ao tempo, e que as histórias mais próximas do tempo não mencionam o trajeto acrescentam credibilidade a essa conclusão.

Dando força a essa conclusão, Coventry foi fundada apenas em 1043; portanto, em 1057, é improvável que tenha sido grande o suficiente para que o passeio seja tão dramático quanto é retratado nas lendas.

A história de "espiar o Tom" nem aparece na versão de Roger of Wendover 200 anos depois da suposta suposta viagem. Aparece pela primeira vez no século XVIII, um intervalo de 700 anos, embora haja alegações de que ele apareceu em fontes do século XVII que não foram encontradas. Provavelmente, o termo já estava em uso e a lenda foi inventada como uma boa história de fundo. "Tom" era, como na frase "todo Tom, Dick e Harry", provavelmente apenas um substituto para qualquer homem, ao criar uma categoria geral de homens que violavam a privacidade de uma mulher, observando-a através de um buraco na parede. . Além disso, Tom nem mesmo é um nome típico anglo-saxão, então essa parte da história provavelmente vem muito depois do tempo de Godiva.

Então, aqui está a conclusão: o passeio de Lady Godiva provavelmente pertence à categoria "Just Ain't So Story", em vez de ser verdade histórica. Se você discorda: onde estão as evidências quase contemporâneas?

Sobre Lady Godiva

  • Datas: possivelmente nascido em 1010, morreu entre 1066 e 1086
  • Ocupação: nobre
  • Conhecido por: passeio nu lendário por Coventry
  • Também conhecido como: Godgyfu, Godgifu (significa "presente de Deus")

Casamento, Filhos

  • Marido: Leofric, conde de Mércia
  • Crianças:
    • Godiva provavelmente era a mãe do filho de Leofric, Aelfgar da Mércia, casado com Aelgifu.
    • Filhos de Aelfgar e Aelfgifu incluíram Edith de Mércia (Ealdgyth), que se casou com Gruffydd ap Llewellyn e Harold II (Harold Godwinson) da Inglaterra.

Mais sobre Lady Godiva

Sabemos muito pouco sobre a história real de Lady Godiva. Ela é mencionada em algumas fontes contemporâneas ou quase contemporâneas como esposa do conde de Mércia, Leofric.

Uma crônica do século XII diz que Lady Godiva era viúva quando se casou com Leofric. Seu nome aparece com o do marido em conexão com doações para vários mosteiros, então ela provavelmente era conhecida por sua generosidade pelos contemporâneos.

Lady Godiva é mencionada no livro Domesday como estando viva após a conquista normanda (1066) como a única mulher importante que possuía terras após a conquista, mas no momento da redação do livro (1086) ela havia morrido.


Assista o vídeo: GODIVA PR new (Pode 2022).